Loading...
Prevenção, saúde e segurança 2016-12-16T11:33:41+00:00

Prevenção, saúde e segurança

Apesar de existirem muitos riscos para as crianças, é possível prevenir a sua grande maioria. Por isso, é necessário que preste constantemente atenção ao seu filho e que preveja acidentes. A seguir, damos-lhe alguns conselhos.

As queimaduras solares são muito frequentes nas crianças, especialmente nos meses de Verão. Embora a exposição moderada ao sol seja benéfica, já que facilita a síntese de vitamina D, uma exposição excessiva é perigosa a curto e a longo prazo, pois pode causar queimaduras na delicada pele da criança e, por efeito acumulativo, a longo prazo, pode dar lugar a tumores malignos, envelhecimento da pele, cataratas, etc.

As queimaduras solares são muito frequentes nas crianças, especialmente nos meses de Verão. Embora a exposição moderada ao sol seja benéfica, já que facilita a síntese de vitamina D, uma exposição excessiva é perigosa a curto e a longo prazo, pois pode causar queimaduras na delicada pele da criança e, por efeito acumulativo, a longo prazo, pode dar lugar a tumores malignos, envelhecimento da pele, cataratas, etc.

A febre é uma das manifestações que mais preocupam os pais. Existe uma fobia da febre, que não está cientificamente justificada. Disse-se e com razão que: “a febre nem sempre é uma inimiga, muitas vezes pode ser uma amiga”.

Com isto pretende-se expressar que a febre é uma forma do organismo reagir e de se defender, como uma espécie de “aviso” de que algo está a acontecer. Além disso, há que desmistificar o conceito errado de: febre = infeção = necessidade de administrar antibióticos.

Por dois motivos fundamentais:

1) Porque existem muitas causas de febre que não têm uma origem infeciosa.

2) Porque, embora muitas vezes se deva a uma infeção, habitualmente, nestas idades, é de origem viral e, portanto, não requer antibioterapia. A suspeita de que uma criança tem febre deve ser confirmada pondo-lhe o termómetro no ânus ou utilizando os mais modernos sistemas de medição de temperatura, no ouvido ao nível do canal auditivo externo. As tirinhas aplicadas na testa são pouco fiáveis. Considera-se normal uma temperatura de até 37º C na axila e 37,5º C no ânus.

Há que fazer baixar a febre quando esta exceder os 38-38,5º C, sobretudo se se tratar de crianças com menos de 2 anos, devido à possibilidade, mais ainda se houver antecedentes familiares, de sofrerem uma convulsão febril. Em caso de febre, não agasalhar demasiado a criança, controlar a temperatura ambiente e aplicar-lhe pequenas compressas de água morna (para roubar temperatura ao corpo).

Também se pode recorrer à administração de Paracetamol ou Ibuprofeno, que além do efeito antipirético, são analgésicos e anti-inflamatórios. Estes preparados encontram-se disponíveis em solução e supositórios, e deve ser o seu Pediatra a aconselhar quando deve administrá-los, por que via, qual a dose e durante quanto tempo.

Esta informação é meramente orientativa. Em caso de dúvidas, por favor aconselhe-se junto do seu médico e/ou pediatra.

Já comentámos a elevada morbimortalidade das crianças em acidentes de trânsito. É necessário que os pais sejam rigorosos cumpridores das normas de segurança rodoviária, para o seu próprio bem e para o bem dos seus filhos, e que lhes inculquem, desde muito pequenos, o respeito pelo código da estrada. De qualquer modo, as crianças devem viajar de automóvel, dependendo da sua idade e peso, em cadeirinhas especialmente concebidas para a sua segurança.
Por volta dos 3 anos, as crianças já conhecem os seus genitais e têm consciência de que existem diferenças entre os dois sexos. É frequente manipularem-nos como exploração do seu próprio corpo. Muitas vezes, tanto as meninas como os meninos, sentem comichão nos genitais, o que normalmente está relacionado com a falta de higiene. As meninas devem lavar os genitais com água e sabão, sempre da frente para trás, a fim de evitar infeções que provocam comichão e, consequentemente, as levam a coçar. Os meninos devem baixar o prepúcio (pele que reveste a glande), para limpar as secreções e evitar balanite.

Sabia que, segundo o Projeto Etapas…?

Nas deslocações de automóvel, duas em cada três crianças não viajam seguindo totalmente as recomendações vigentes em segurança rodoviária.

Nas deslocações de automóvel, alguns pais (2%) não colocam o cinto de segurança ou dispositivo para manter a criança segura. Em geral, os pais estão muito conscientes das medidas de prevenção (prevenção primária) para evitar acidentes em casa.

A maioria dos pais optam por levar os filhos ao pediatra quando a criança apresenta algum sintoma comum na sua idade (dermatite, tosse, mucosidades, obstipação,…).